quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Conheça nossa cozinha #23

(Zézinho poser)
- Mano essa hq aqui é foda!

(Você)
- Sério? Nunca li.

(Zézinho poser)
- Vai na minha que eu sei o que eu to falando.

(Você pra não cortar o barato de ninguém)
- Tá bom, vou ler.

Depois de terminar:
- Mano que bosta é essa?

 Indicação e propaganda enganosa.

 Quem nunca foi na onda do amiguinho e leu uma hq muito bosta esperando ser algo foda? Acredito que todo mundo.
 Ta, não é sempre que acontece. Já li coisas ótimas por indicação dos outros.
 Tanto quanto já tive algumas decepções. Não que a pessoa ou site tenha culpa pela minha experiência. Longe disso. O que pega é a expectativa que a gente acaba criando antes de ler o quadrinho (ou ver o filme, ou o que seja).
 Não vou citar quais hq´s são, porque além de questão de gosto pessoal é chato ficar queimando o filme alheio.
 O que da pra fazer é tirar minhas próprias conclusões em vez de ir na onda da geral.
- Então você é o chato que não vê filme ou lê quadrinho quando ta na moda? Em que mundo você vive?
 Planeta Zórk.
 E grande parte do tempo sim. Não sou adepto do modismo ou de febres passageiras como filmes de super herói ou comidinhas fru fru da moda.
 Tenho plena ciência que posso ta perdendo muita coisa boa, como death note ou 300, que eu conheci anos depois de serem febre.
 Só costumo me policiar nesse ponto porque quando a coisa ta na boca da geral tem uma grande de eu gostar só pra não cortar o barato de ninguém ou pra agradar. E não vem não que você sabe do que eu to falando.
 Você já curtiu aquela música tosca só pra agradar a pessoa amada, ou já comprou o cd da banda duas semanas antes de ir ao show porque nunca ouviu antes. Confessa. Eu já fiz.
 Isso me arremete muita a minha fase adolescente quando eu ia na onda. Se a banda foda era tal eu gostava. Se o quadrinho tal era foda eu gostava. Tanto que hoje pouquíssima coisa que conheci nessa época me acompanha na vida adulta. Muita coisa ficou lá, incluso cavaleiros do zodíaco e todo o resto.
 - Então você da turminha do alternativo?
 Sou?
 Eu vivo em um buraco.
 Isso é ser alternativo?
 Talvez.
 Não me considero alternativo, anti-modinha ou o chato, só acho que é legal ver as coisas com os próprios olhos antes de tirar qualquer conclusão.
 Pelo menos tentar.
 Afinal nessas eu descubro muita coisa boa que ninguém nem sabe que existe.

 E isso é legal