quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Conheça nossa cozinha #26

 - Sinta agora minha técnica suprema! O pincel caro da lojinha! E as canetas que vieram do japão!

 Limitação

 Todo mundo conhece o amiguinho ostentação.
 O que tem os materiais caros, canetas copíca, pincel fodão, papel bom e não desenha nada.
 Não no sentido de boa técnica, mas de desenhar desenhar mesmo, sentar a bunda na cadeira e fazer.
- É, mas espera até eu ter minha cintiq!
  Eu já tive minha fase de comprar tudo que é material também (não estou me colocando como melhor do que ninguém aqui hehehe), e tenho uma gaveta cheia de coisas que eu não uso para provar isso.
 Ta bom, é mais que óbvio que um material bacana vai te permitir produzir uma arte muito melhor do que um material vagabundo, o que pega no zezinho ostentação é que o material que ele usa pode se sobrepor ao mais básico que é o treino, não existe lápis mágico que substitua treino e estudo.
 Como eu descobri com o tempo, se você não sabe usar direito o material não compra o mais caro. Se for só para experimentar, arrisca um mais vagabundo só pra ver se é a sua pegada. Afinal quem se vira com o básico costuma conseguir se virar com qualquer coisa, ou não, vai saber.
  Vejo muito isso também no joãzinho pintor.
 Pinta aquele puta quadro bonitão com tinta óleo e erra anatomia, perspectiva e conceitos básicos de desenho.
 Não que isso seja um problema de tudo, mas estilo é errar (ou resolver as coisas) de forma consciente, não fazer um desenho errado sem a intenção de.
 Outro mal é a cor.
 Qualquer porcaria que seja, se for colorida tende a ficar mais bonita. A cor por si só já deixa qualquer desenho mais interessante, o que é um perigo, porque esconde erro e pode acabar virando muleta com o passar do tempo.
 Não sei se repararam, mas tenho feito pouca coisa colorida ultimamente, fora a preguiça de colorir é uma escolha pessoal.
 O desenho preto e branco é menos trabalhoso, porém ele é muito mais sensível. Porque conta com a compreensão do leitor. Além de deixar os erros muito mais visíveis do que em um desenho colorido.
 É mais difícil? É.
 Mas essa limitação fez meu traço e minha arte final evoluírem.
 Mais a frente pretendo retomar a cor, para entender o processo e chegar a um resultado melhor também.
 Enquanto isso, vou evitar ostentar.
 Porque fazer aquele desenho troncho e postar no facebook com as caneta fodona do lado pode te fazer ganhar likes, mas o que realmente te faz evoluir é aquele rascunho a lápis que você manda pro lixo todo dia.

 Nunca despreze o básico.