quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Conheça nossa cozinha #36 - Personagens femininas

 Alerta de tabu. Alerta de tabu. Alerta de tabu.
 Homens e mulheres têm visões diferentes sobre boa parte das coisas, por conta de fatores culturais e até mesmo biológicos, e na hora de colocar moças nos quadrinhos da um nó na cabeça de muito cara.

Personagens femininas

 Acredito que o inverso também aconteça.
 Como autor eu procuro questionar minha interpretação das mulheres nos quadrinhos para não ficar só nos clichês, a gostosa, a frágil, a fodona... Não que não seja valido usar desses papéis, o problema como digo sempre está nos excessos.
 Personagens que são tratados só por uma característica são superficiais.
 Em um papel secundário, em que eles servem só como escada para os principais ainda é válido, mas nunca faça isso com protagonistas.
 Porque protagonistas tem um problema que é a profundidade,
 E criar profundidade em um personagem não é lá muito fácil. Não só nas mulheres, mas nos homens, porém com os homens eu tenho minhas experiências como referencia. Tanto que meus personagens tende a ser mais sensíveis e bundões do que a média por eu ser assim. Agora com mulheres, fora as eu me relaciono que me servem de base entra muito a minha visão pessoal da coisa.
 Eu tinha a tendência a criar mulheres muito fortes, dedicadas, esforçadas e que não erram nunca. O que é o pior defeito em um autor.
 Todo personagem importante na história tem que ter uma fraqueza, uma falha de caráter, algo mal resolvido, porque é justamente isso que torna ele humano. Gostamos de personagens pelas suas virtudes e nos identificamos com eles pelas suas fraquezas e dramas pessoais.
 Por isso poucas pessoas gostam do supinho.
 O cara é over power, é cidadão modelo e os caraio... Mas o que poucos vêem é que a fraqueza dele é a solidão. Porém as virtudes dele são tão fodas que a gente esquece que o cara não pode nem transar. Mas quem liga? O supinho pode dominar o mundo não é mesmo?
 E o Dr. manhattan, quem se identifica com ele? O cara chega em um nível tão absurdo que se importa cada vez menos com os humanos. Mas mesmo essa habilidade é uma fraqueza, porque ele perde qualquer motivação para criar vínculos afetivos e sabemos o quanto isso é ruim mesmo ele não se importando com isso.
 Voltando as moças. Eu tento me esforçar o quanto for possível para tentar deixa-las mais humanas o possível.
 Porque emoções são comuns a toda nossa espécie humana, todo mundo sente dor, se apaixona, faz coisas por impulso, sente tesão, fica triste, nesse campo não tem homem e mulher, tem ser humano, é a forma como cada um lida com isso que é diferente e é aí que entram as questões biológicas e culturais.
 Por isso na hora de criar personagens mulheres (e homens) os estereótipos ajudam, mas não são o limite. Ah mas toda mulher é chorona mesmo. Dependendo da criação e do contexto em que ela viveu/vive ela pode ou não ser. Tudo tem que ser justificado, não é só porque é e ponto. Sua missão como autor é convencer o leitor, até porque você não vai junto com a sua história pra ficar do lado dele explicando tudo.
 Do tipo a furiosa (mad max) tem empatia pelas outras mulheres porque ela foi criada em uma sociedade diferente da qual ela é serva. É um fator cultural.
 O Max se preocupa com a moça grávida. Porque ele é gente boa? No filme isso não fica muito claro. Talvez seja um fator biológico, assim como a moça que se afeiçoa pelo garoto de guerra que até então estava caçando ela. São atitudes que não tem lógica dentro da cultura da sociedade do filme mad max.
 Um bom caminho é definir o passado para definir quem o personagem é hoje, isso para ambos os gêneros. Por isso conheça minimamente seus personagens. Mesmo que esse passado não esteja na história em questão.
 E sim existem mulheres (homens) super bem resolvidas que adoram ser sexys.
 Todo mundo pode andar nu se tiver vontade, errado é quem faz mau uso disso ou desrespeita o espaço do outro. Então acredito que personagens podem ser sexys nas histórias, desde que haja um contexto e não fique forçado tipo uma general/gurreira/qualquer gostosa numa guerra de bikini em vez de armadura.
 Discordo de mina de maio combatendo o crime e voando por aí. Isso destoa da realidade e deixa a história forçada. Porque que o que se passa ali é uma caricatura do mundo real. Apesar de servir ao publico de comics (o qual eu não faço parte).

 Salvo explicações lógicas por parte dos autores. Como outras raças ou culturas. O Tarzam passou a vida inteira pelado na selva e não teria sentido ele se adaptar a civilização logo no primeiro contato. Ou uma alienígena que vem de outro planeta onde todos andam nus se adaptar a nossa civilização sem uma explicação ou motivação.