quarta-feira, 13 de julho de 2016

Conheça nossa cozinha #53 - Web comics

 Eu tenho certeza que muitos acham esse blog meio pobre, só com histórias com um traço simplista em preto e branco quando a web oferece um mundo de possibilidades gráficas e paginas espaços e cores ilimitados.
 Conheço só um blog que aproveita bem os recursos da web sem ficar um rebosteio que é o diário deVirginia, depois desse o muzinga também é muito bom.
 Um por usar com maestria o espaço ilimitado e conseguir inserir narrativas que só são possíveis na web e outro pela simplicidade e praticidade pra se ler.
 E aqui bem... Aqui eu vou experimentando o que eu acho que funciona.
 Quem já acompanha esse blog dos tempos mais antigos sabe que eu já fui adepto de cores vibrantes e um visual mais incrementado como era o próprio design do blog até um tempo atrás.
 Um bom exemplo disso é a história o Gato pirata contra o pirata da cara de pau. Eu adoro o resultado, as cores e tudo mais, porém hoje eu sinto que a cor já não é tão boa quanto eu achava na época. Apesar de muito bonito o resultado hoje eu sinto que a cor mais atrapalha do que ajuda em certas cenas.
 A cor, assim como o desenho, assim como o texto é uma ferramenta para contar uma história.
 Por isso agora eu tenho pensado em quadrinhos como camadas e não mais como processos distintos.
Roteiro, narrativa e desenho tem que funcionar em conjunto não brigar entre si como era na época da Image onde um cara queria aparecer mais que o outro.
 Até o letrista queria sobrepor o desenho com fonte, que é um trabalho que tem ser praticamente invisível no quadrinho.
 Um fonte ruim caga uma história boa.
 No quadrinho o desenho e o texto são as ferramentas que nos permitem passar nossas idéias para o plano físico, no quadrinho o desenho e o texto funcionam da mesma forma na maior parte do tempo, são informação, eles comunicam uma idéia.
 Nada mais além disso.
 Até mesmo os comics com seu virtuosismo passam informação. Um herói é quase uma divindade grega e por isso ele é graficamente representado de tal forma.
 A questão é quando a gente faz isso sem saber o porquê, o que ocorre muito em quadrinhos e dentro destes os webcomics.
 Colocar Gif, cores que não condizem com a história e quadrinhos animados... São coisas que são legais, não vou negar, mas que tem que ser bem usadas para não interferir na outra perna essencial do processo de contar a história que é leitura.
 Através da leitura é como o leitor vai compreender nossas idéias e tudo que tire o foco desse processo é nocivo.
 Como textos voando, balões coloridos ou até uma passagem fad in de quadrinho podem ser o suficiente para tirar o leitor do fluxo.
 Em narrativa a gente costuma exemplificar que da pra perder o leitor em uma pagina (as vezes quadro) mau planejado.
 Então o que dizer da feira da fruta (rei, feira da fruta rá!) que são algumas webcomics?
 E não to falando de coisa indi, to falando de coisa de mercado grande.
 Tem publico pra isso?
 Claro que tem.
 Eu costumo pensar em quadrinhos como livros, os livros resistiram ao radio, a televisão e ao computador então porque os quadrinhos tem que abraçar tudo que é mídia só para se modernizarem?
 Porém se o negócio for bem pensado para o formato de saída, assim como é com qualquer mídia, da pra fazer umas coisas putamente legais, desde que o quadrinho fique com cara do primo pobre da animação e do cinema, até porque ele é meio que o pai deles.
 - Mas o mercado!
 O mercado o cacete, gerações inteiras tiveram que se adaptar a ler e fazer quadrinhos preto e branco e contar histórias com recursos mínimos e agora tem que dar tudo mastigado, bonito e pomposo só porque o mercado quer?
 - Vai morrer de fome então!
 Realmente, se o cliente paga bem que mal tem?
  Mas calma, não estou sendo radical e defendendo a volta das pinturas ruprestres, ou que tudo tem que ser feito com papiro só acho que vale a pena abrir mão de alguns fetiches (ahhhhh gif!) e glamour para simplificar a leitura e conseguir transmitir nossas idéias de forma mais direta e fluida ao leitor, porque o objetivo de uma história é transmitir uma idéia e tudo que ajuda no processo é bem vindo.

 E tudo que atrapalha... Não.